Header Ads

Breaking News
recent

Grupo Internacional de Artistas COLECTIVO CILLERO

França - Holanda - Itália - Alemanha - Portugal - Croácia - Espanha
Grupo Internacional de Artistas
COLECTIVO CILLERO www.colectivocillero.com
expõe em SINTRA
“A QUE CHAMAMOS PAZ”
PINTURA, ESCULTURA, FOTOGRAFIA, CERÂMICA, VIDRO, POESIA
Alicia Castro López - Bart Van Oijen - Dimitri Katalinic - Fermín de Bedoya - Friedhard Meyer - Jean Rouzaud Jesús Díaz Hernández - Luís Athouguia - Luis Machí Gómez - Manuel Ruiz García - Pablo Baeza Pilar Hernández Otero - Rafael Catalán Ynsa - Samantha Torrisi
Inauguração dia 5 de Junho, Sábado, às 16h00
Por convite do Município de Sintra, o Grupo Internacional de Artistas Colectivo Cillero apresenta uma exposição multidisciplinar intitulada “A que chamamos Paz”, na Galeria Municipal - Edifício do Turismo.
Uma exposição que pretende inter-relacionar diversas disciplinas artísticas representadas por criadores de nacionalidades distintas à volta do conceito da arte e no âmbito da Paz. Representa plasticamente um conceito pelo qual se concretiza uma realidade comum, próxima de todos e cada um dos artistas, com a convicção de que as suas acções criadoras proporcionam uma reflexão sobre o tema que se manifesta nas suas obras.
O Colectivo Cillero, conta com 12 anos de actividade artística. É formado actualmente por artistas de Espanha, Holanda, Itália, Alemanha, Portugal, Croácia e França. Os seus membros, além de cidadãos residentes na Europa, identificam-se plenamente com o que este continente representou e representa no terreno da cultura e da arte para todo o mundo. Realizaram recentemente exposições em Madrid, Toledo, Albacete e Hellin, Espanha, em Baignes, França, na Covilhã, Portugal, em Bad Neustadt, Alemanha, e manifestam-se agora em Sintra e terminarão o ano, de novo, em Madrid. Todos eles participam neste projecto com as suas últimas criações artísticas.
No âmbito do Ano Internacional da Cultura da Paz, criou-se o Manifesto 2000 para uma cultura de paz e não-violência, promovido pela UNESCO e estabeleceram-se os Prémios Nobel da Paz, para que o indivíduo assuma a responsabilidade de converter em realidade os valores, as atitudes, os comportamentos que fomentam a cultura de paz convidando à intervenção no âmbito da família, da localidade, da cidade, da região e do país, praticando e fomentando a não-violência, a tolerância, o diálogo, a reconciliação, a justiça e a solidariedade dia a dia.
Galeria Municipal de Sintra

Sem comentários:

António Dulcídio. Com tecnologia do Blogger.